Impulsionado pelas tensões nos Estados Unidos, o Ibovespa caiu 2%, mas avançou 8,27% no encerramento em julho

Depois que a economia americana registrou uma perda recorde de 33% ontem, no segundo trimestre de 2020, o PIB ainda afeta o desempenho do mercado. Esse conflito envolve o presidente Donald Trump, que quer forçar a empresa chinesa ByteDance a vender o controle do aplicativo TikTok. Trump acredita que o controle da China do TikTok representará uma ameaça à segurança nacional dos EUA.

O impasse é outro capítulo da disputa geopolítica entre a China e os Estados Unidos. Em clima tenso, o Ibovespa, principal índice do B3, fechou em queda de 2% nesta sexta-feira (31) para 102.912 pontos. No entanto, o aumento não afetou o desempenho em julho, que atingiu 8,27% ao final de hoje.

O mercado de ações subiu em julho, ligeiramente abaixo dos meses anteriores, o Ibovespa subiu 8,76% em junho e 8,57% em maio. No entanto, desde 2018, julho teve o melhor desempenho.

Nos Estados Unidos, Dow Jones, Nasdaq e S&P 500 ignoraram a situação macroeconômica e aumentaram devido ao desempenho da Apple, que foi melhor do que o esperado no segundo trimestre. O índice Dow Jones fechou em alta de 0,44%, o índice S&P 500 subiu 0,77% e o índice Nasdaq subiu 1,49%.

Os investidores também prestam atenção aos indicadores europeus que mostram o impacto do coronavírus. O produto interno bruto (PIB) da zona do euro encolheu 12,1% no segundo trimestre de 2020, em comparação com a maior contração desde o início da série histórica em 1995.

O PIB de alguns países, como a França, caiu 13,8%, enquanto o PIB da Itália caiu 12,4%. Na Espanha, o declínio econômico foi de 18,5%.

Nesta atmosfera incerta, o dólar subiu novamente. Nesta sexta-feira, o dólar comercial fechou em alta de 1,151%, a 5.218 reais (31). No máximo, a moeda dos EUA atingiu 5.217 reais.

Em julho, o dólar fechou em 4,03%. Este é o maior declínio mensal em 2020, excedendo o declínio mensal de 1,8% em maio. Diferentemente de outros períodos, o desempenho real em julho foi melhor que o dólar americano.

As ações preferenciais da Petrobras (PETR4) caíram 2,72%, enquanto as ações ordinárias (PETR3) caíram 2,66%. Ontem, a companhia de petróleo divulgou seu balanço para o segundo trimestre de 2020. A empresa teve um prejuízo líquido de 2,713 bilhões de reais, mas conseguiu superar levemente os 48,5 bilhões de reais no primeiro trimestre de 2020.

O Ebitda ajustado da empresa caiu 23,5%, atingindo R $ 24,986 bilhões. Na comparação anual, a receita estadual de vendas caiu 29,9%. Apesar do mau tempo da empresa, os analistas elogiaram os resultados, especialmente pelo fluxo de caixa livre da Petrobras de R $ 1 bilhão.

As ações do Bradesco (BBDC4) também caíram 4,14%, passando a ser as ações mais negociadas do dia. Os bancos também caíram no Ibovespa, com perdas variando de 3% a 4%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *